Minas... Simplesmente...

Minas Gerais Belo Horizonte

Minas Gerais Belo Horizonte

** Centro de Belo Horizonte **

**  Centro de Belo Horizonte **
Belo Horizonte - A Capital das Alterosas

Mapa do Estado de Minas Gerais

Mapa do Estado de Minas Gerais

Jesus And The Seven Angels Of The Lord

Jesus And The Seven Angels Of The Lord
Jesus Cristo e Os 7 Anjos do Senhor

Minas Gerais Simplesmente

O Poder da Fé em Cristo Jesus

O Poder da Fé em Cristo Jesus
Jesus Cristo "Nosso Senhor e Salvador

A Despoluição da Bacia do Rio das Velhas


Governo garante mais R$ 259 mi para revitalizar Rio das Velhas
Estado reitera projeto de limpar bacia até o ano que vem, libera
recursos e convoca prefeituras e comunidade a fazer sua parte

A despoluição da Bacia do Rio das Velhas – conhecida como Meta 2010 – ganhou novo aporte de recursos, de R$ 259 milhões, anunciado na quarta-feira pelo governador Aécio Neves a 51 prefeitos de municípios integrantes da bacia. O objetivo da reunião no Palácio da Liberdade, parte do 8º Fórum das Águas de Minas Gerais, foi reafirmar aos representantes das cidades o pacto no sentido de devolver a vida e a limpeza ao rio e aos seus principais afluentes, interceptando o esgoto in natura e revitalizando matas ciliares e nascentes. Para isso, um dos maiores desafios é fazer com que uma comunidade de cerca de 4,8 milhões de habitantes abrace o projeto como melhoria da qualidade de vida, da saúde pública e do meio ambiente.
De acordo com o governo de Minas, serão investidos até o fim do projeto R$ 1,3 bilhão em 172 obras de recuperação das águas e, no que depender da administração estadual e de recursos, o rio estará apropriado para banho no prazo planejado. No entanto, Aécio Neves convocou as prefeituras a fazer sua parte e afirmou que, sem elas, não será possível alcançar a meta no próximo ano. “É fundamental que os municípios participem desse esforço, porque há medidas de âmbito municipal que, se não forem tomadas, tornam inócuo o esforço e até um desperdício os recursos que estamos aplicando”, disse. Durante o encontro, vários prefeitos apelaram ao governo para que não permita a construção de barramentos ao longo do Velhas.
“No meu governo, não haverá autorização para construção de nenhuma dessas barragens”, assegurou o governador, reafirmando que espera poder ainda mergulhar
no rio.
Da Serra das Andorinhas, em Ouro Preto, até a foz, em Várzea da Palma, onde se encontra com o Rio São Francisco (veja mapa), o Rio das Velhas percorre 802,25 quilômetros. A porção mais poluída da bacia, cujo território total é de 29.173 km2, fica na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Da verba anunciada ontem, grande parte virá da Copasa – R$ 239 milhões – e será destinada especialmente ao tratamento de esgoto. Os outros R$ 20 milhões serão liberados para o Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema), para a implantação de soluções tecnológicas para destinação adequada de lixo urbano em áreas críticas da Bacia do Rio São Francisco.

*** A Capital ***

Belo Horizonte ficará com R$ 58,05 milhões para implantação de interceptores e redes coletoras de esgoto em diversas regiões. Na Lagoa da Pampulha, serão instaladas ainda estações elevatórias para bombear os efluentes. Em Ribeirão das Neves, o total investido será de R$ 53,2 milhões, também com a implantação de interceptores. No Bairro Veneza, será instalada uma estação de tratamento de esgoto (ETE), beneficiando mais de 75 mil pessoas.
Santa Luzia também terá nova ETE, a maior da cidade. Os investimentos totais, de R$ 44,6 milhões, beneficiarão mais de 200 mil pessoas. Em Pedro Leopoldo, serão R$ 32 milhões para a nova estação de tratamento. Em Contagem, serão investidos R$ 21,2 milhões na implantação de interceptores e na urbanização de fundos de vale. A Copasa fará também investimentos em Raposos, São José da Lapa, Vespasiano, Confins, Matozinhos, Capim Branco e Vespasiano.
Segundo a coordenadora executiva do Projeto Meta 2010 da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Myriam Mousinho, o foco atual dos trabalhos está no trecho de 170 quilômetros do Velhas entre Itabirito e Jequitibá, na Região Central do Estado.
“Entre as obras, estão o tratamento secundário da estação do Onça, em BH, a ampliação das intervenções de caça-esgoto na capital e em Contagem e a primeira etapa de interceptação do esgoto na Bacia do Ribeirão Isidoro, também em BH”, explica. Com a intervenção, a ETE Onça terá ampliado o percentual de despoluição da água, de 70% para 92%. Os investimentos são de R$ 64 milhões, da Copasa.

*** Convocação ***
Além dos trabalhos em campo, há a mobilização da sociedade. De acordo com a coordenadora, no ano passado foram feitos 17 seminários em diversos municípios da bacia, que reuniram mais de 2 mil pessoas. Para Myriam, o grande desafio é fazer com que as pessoas se sintam pertencentes ao processo de revitalização do rio. "A recuperação do Rio das Velhas, a Meta 2010, só se tornará realidade se todos juntos, não só o governo e as prefeituras, fizerem sua parte, mas todos, cada um com o seu papel. Vale lembrar que esse é o primeiro projeto de grande porte que nasceu da sociedade civil de Minas e foi incorporado pelo governo do estado. É essa relação que torna a meta possível" acrescenta.
Durante a solenidade com o governador, 26 prefeitos da Bacia do Rio das Velhas assinaram carta-compromisso formalizando a participação das prefeituras nas ações de interceptação e tratamento de esgotos domésticos, coleta e destino adequado do lixo, além de trabalho para manter os cursos d’água aptos ao abastecimento das cidades, atividades de lazer, irrigação e criação de peixes.

Nenhum comentário: